FANDOM


Adel, Deusa da Magia, Primeira Arcana, Senhora dos Magos, Rainha-Feiticeira, Mãe da Suprema Arte

Deusa Maior

Status Divino 9 Símbolo: 7 Anéis entrelaçados formando um círculo Plano Natal: Tendência: Caótico e Neutro Aspecto: Magia, Feitiçaria, Encantamentos Seguidores: Feiticeiros, Magos, Invocadores, estudiosos, outros conjuradores. Tendência dos Clérigos: CN,CB,CM,N

Adel (A-dél) é a Deusa da Magia da Nova Aurora, mas além desse posto imensamente importante, Adel foi o primeiro ser mortal à ascender ao posto de Deus Maior. Também foi ela, durante a segunda criação, que encontrou e uniu os “Cristais do Poder”, que nada mais são do que as lágrimas dos Primordiais, que causaram a destruição da primeira criação e cristalizadas em forma de grandes pedras preciosas, se perderam no Plano Material. A Igreja de Adel é presente em todas as culturas de seres civilizados, e a Deusa ainda conta com um sem número de clérigos e adeptos oriundos de povos bárbaros que desenvolvem poderes mágicos como feiticeiros ou bruxos. A crença da Deusa de que a “Suprema Arte” deve ser livre para uso de qualquer um que queira abraçar sua dádiva, a manteve envolvida nos maiores conflitos do Plano Material, não lutando por um exército determinado, mas orquestrando os duelos de arquimagos e feiticeiros épicos que viveram através das eras. Sua natureza caótica faz de Adel uma Deusa em constante mudança, e teria sido seu extremo descontentamento com sua existência que a teria impelido na busca dos Cristais do Poder quando era ainda uma mortal. Não existem registros ou relatos confiáveis sobre como se desenvolveu essa busca, mas Adel orgulha-se e é de conhecimento de sua igreja e fiéis que ela o fez sozinha, sem intervenção ou ajudas divinas. Adel prega que a Magia, que posteriormente passou a ser conhecida como “A Suprema Arte” é a ferramenta e poder que os mortais devem utilizar para alcançar os Deuses. Ela não administra como o poder da Magia é utilizado, contanto que seus usuários propaguem seus efeitos e gerem novos usuários através da tutela, demonstração ou conhecimento de seus poderes. A Igreja de Adel é poderosa, controlando uma legião de conjuradores, que atuam como pesquisadores e estudiosos, se dedicando a catalogar e propagar os usos da magia em todo o Plano Material, assim como mercenários e aventureiros, superando desafios e impérios com a finalidade de aprimorar seu controle sobre a Arte. Os sacerdotes da Deusa fazem suas preces sempre ao pôr do Sol, pois é crença que a transição entre o dia e a noite é a hora em que a Magia da Deusa fica mais intensa no Plano Material e dessa forma é mais fácil absorver a Magia da terra e manipulá-la. Cada localidade cria seu próprio calendário de ritos e cerimônias, mas dois eventos são permanentes e respeitados por todos os sacerdotes. O primeiro é o “Dia da Ascensão”, comemorado sempre no primeiro dia de cada ano, conforme o calendário solar, onde os conjuradores fiéis de cada localidade se reúne nos templos principais da Deusa e promovem rituais e demonstrações de Magia. Geralmente é também neste dia que os iniciados nas Artes recebem as condecorações e promoções dentro da hierarquia da Igreja, e a Deusa se encarrega de conceder uma audiência ao conjurador que tenha durante o ultimo ano, alcançado maiores avanços rumo ao domínio pleno da Arte. O segundo evento é o “Despertar”, ritual realizado quando da morte de um fiel, onde o corpo deste é cremado em substâncias especiais sob encantamentos e magias, que oferecem à Adel a alma de seu fiel. É de extremo mau gosto e desrespeito à Igreja de Adel que seja impedido o ritual do “Despertar”, mesmo quando a Igreja se manifesta para realizá-lo para um conjurador que não seguia os dogmas da Igreja, pois a Igreja de Adel se considera autoridade superior sobre todos os usuários de Magia, mesmo aqueles que nunca colaborem com ela.

História/Relacionamentos: Adel foi uma rainha poderosa entre os mortais, à tempos incalculáveis no passado distante da Segunda Criação. Desenvolvera a Magia como habilidade natural, em um tempo em que nenhum outro ser possuía tal dom, e graças ao aprimoramento de seus poderes alcançou seu maior objetivo, que era ser uma Deusa por toda a Eternidade. Adel foi também responsável por parte do esplendor da Terceira Criação, e atuou diretamente na busca dos Cristais do Poder após a Segunda Guerra dos Deuses. Ela teme que com o advento de uma Nova Aurora, possa ser destruída. Durante a Caçada aos Deuses Rebeldes, Adel desafiou a divindade que disputava seu domínio sobre a Magia, e saindo vitoriosa, aprisionou o concorrente no artefato conhecido como o “Cetro do Deus Mago”. Adel carrega o cetro desde então como troféu e prova de sua supremacia. Nunca se envolveu diretamente em conflitos de mortais, e passa parte de sua existência percorrendo os planos e estudando-os, adquirindo todo tipo de conhecimento arcano e manipulações da Magia que tem contato. Sua vitória sobre o Senhor dos Magos, cujo nome Adel proibiu a pronuncia, rendeu à Deusa uma confiança gigantesca sobre seus poderes, e Adel vaga pelos planos desafiando qualquer divindade que compartilhe o seu domínio sobre a Magia. Dizem que em seu Cetro, Adel carrega uma pedra preciosa com a essência do poder de cada uma das divindades que derrotou, apesar de não saberem a identidade nem de onde eram essas divindades. Adel mantém aliança estável com Arandor, o Deus do Conhecimento, que fora em tempos longínquos um dos estudiosos e conselheiros em seu reinado mortal, e teve sua alma resgatada pela própria Adel, no inicio da Terceira Criação. Além dele, Adel costuma atuar junto com Takhisis e Kérollen, pois vê nos humanos e elfos os maiores usuários de sua Magia, e com Eã e Hellamiel, por serem ambos os patronos de seres poderosos que lhe rende grandes estudiosos e fiéis. Adel tem a amizade e respeito de Lucen, mas sua relação com os demais Primordiais é de distanciamento e dúvida. Move sua Igreja na atuação direta contra os cultos de Orhak, Ladon, Valron e Cadash, deuses que Adel considera inimigos.

Dogma: A Magia é a Suprema Arte, o poder que move montanhas e altera a realidade, a ferramenta dos mortais para alcançar os Deuses e até mesmo superá-los. Ame a Magia e a sua senhora, pois o poder de Adel flui por toda a existência. Demonstre o esplendor da Magia sempre que puder, e consiga a admiração e respeito daqueles que ainda não obtiveram a graça de manipular a Arte. Conquiste através da admiração ou temor o devido respeito que todos os usuários da Arte devem possuir, e não permita que a Arte ou a sua senhora sejam questionados. Colabore sempre com os iniciados, lhes proporcionado os conceitos básicos no uso da Arte, mas jamais compartilhe todos os conhecimentos com aqueles que não demonstrem empenho e disciplina suficientes, pois a dádiva da senhora é grandiosa, mas exige concentração e dedicação.

Clero e Templos: as Igrejas de Adel funcionam em torres e palácios construídos por magos, feiticeiros e outros conjuradores fiéis à Deusa durante as suas vidas, e são centros de estudo e iniciação de adeptos à Arte. A Igreja de Adel considera seu direito maior, e dever divino, armazenar o conhecimento e bens dos conjuradores que falharam em sua trilha à ascensão, e é comum que emissários da Igreja reinvidiquem terras, tesouros e bens de magos, feiticeiros e semelhantes que pereceram sem herdeiros iniciados na Suprema Arte. Vista por parcela da população como uma rede gananciosa e ávida por poder e riqueza, a Igreja de Adel é uma organização de hierarquia definida, mas seus cargos são ocupados de maneira inconstante por inúmeros Adeptos da Deusa. É comum jogos de política e intrigas envolverem os líderes e membros de postos altos dentro da organização, mas qualquer tipo de manobra para parar ou atrapalhar o desenvolvimento de um Adepto é visto como crime. A Igreja de Adel detém grande riqueza, parte desta oriunda dos tesouros de Adeptos que pereceram durante a atuação em aventuras, e parcela através do patrocínio de nobres e reinos que mantém os Círculos de Magia nas grandes cidades onde muitos jovens são enviados para formação. Os templos de Adel se assemelham à grandes centros de estudos, onde Adeptos se dedicam à pesquisa e desenvolvimento de novas Magias e itens mágicos, e estudo das diversas formas da manifestação da Magia no Plano Material ou além dele. É comum que famílias ricas mandem seus filhos ainda na infância para viverem nestes locais, chamados de Círculos da Magia ou Casas da Magia, para que estes desenvolvam suas habilidades mágicas natas, ou se iniciem nos estudos arcanos logo cedo. Tudo isso, logicamente, é realizado através de pagamentos de mensalidades e dízimos freqüentes às guildas locais que administram esses templos, e as populações pobres nunca tem acesso ao estudo em um desses templos. A Igreja de Adel mantém um grupo chamado de “Olhos da Senhora”, formado por Adeptos de renome que se dedicam à pesquisa de novos talentos na Magia entre os seres inteligentes, e quando os encontram, os levam para os templos sob o título de “Os Escolhidos”. Geralmente os Escolhidos gozam de certo ostracismo e desconfiança em alguns templos, visivelmente pelo fato de este ser um dos únicos modos de um individuo de origem pobre poder ser aceito como Adepto, e são raros os casos destes que conseguem ascender dentro da organização da Igreja. Em contrapartida, aqueles que conseguem fama e poder como aventureiros tem seus bens devidamente confiscados pela Igreja em caso de morte ou desaparecimento. A Igreja de Adel também conta com os “Pesquisadores”, ala de adeptos que se dedicam a catalogar e pesquisar meios de utilizar bestas e demais seres mágicos, e ainda existe os “Nobres”, parcela de adeptos que alcançam posição nos conselhos de cada templo e dessa forma constituem a ala mais influente e poderosa dentro da Igreja. É patrocinada pela Igreja de Adel duas organizações distintas, uma ordem de Paladinos e Guerreiros Arcanos, que são utilizados como linha de defesa dos templos e em expedições dos Adeptos, e uma sociedade de Clérigos e historiadores, em conjunto com a Igreja de Arandor, que se dedica à catalogar e arquivar todas as magias e demais conhecimentos desenvolvidos pela Igreja de Adel como um todo. As vestimentas dos Adeptos são geralmente túnicas e mantos trabalhados, e os altos adeptos geralmente possuem modelos ricamente adornados com runas e encantamentos de proteção. Preferem as cores sóbrias, e existe uma convenção que a cor púrpura deve ser usada com freqüência pelos adeptos e fiéis como cor oficial do culto à Deusa.

Ad blocker interference detected!


Wikia is a free-to-use site that makes money from advertising. We have a modified experience for viewers using ad blockers

Wikia is not accessible if you’ve made further modifications. Remove the custom ad blocker rule(s) and the page will load as expected.